Review | Cyberpunk 2077: Phantom Liberty e Atualização 2.0


A DLC Phantom Liberty de Cyberpunk 2077 é uma expansão de história que será lançada em 26 de setembro de 2023 para PC, PlayStation 5 e Xbox Series X/S. A DLC promete uma nova aventura de espionagem e suspense, com novos personagens, novas missões e uma nova área para explorar.

Prometendo ser a maior e mais ambiciosa expansão de Cyberpunk 2077, a CD Projekt Red deixou os fãs ansiosos para ver o que a DLC tem a oferecer, especialmente porque a atualização 2.0 sinaliza mudar diversos aspectos base de gameplay, corrigindo muitos dos problemas do jogo e adicionando novos conteúdos.

Numa busca de se provar, será que Phantom Liberty é o suficiente para mostrar que a CD Projekt Red ainda consegue surpreender?

História

Acontecendo antes do final da campanha principal, você é mais uma vez V lidando com o Relic que mantêm você atrelado ao Johnny Silverhand. Nosso protagonista recebe o contato da misteriosa Songbird. Ao chegar no local de encontro, a mulher se revela uma talentosa netrunner que trabalha como analista de inteligência para NEUA (Novos Estados Unidos da América).

review cyberpunk 2077 phantom liberty historia solomon reed song bird

Songbird impressiona e consegue entrar no Relic de V e anular a presença de Silverhand da mente dele. Ela nos propõe um trato, V ajuda ela a salvar a presidente da NEUA, a Rosalind Myers e em troca ela arrumará um jeito de neutralizar o Relic que está tomando pouco a pouco a vida de V.

Aceitando o acordo, Songbird pede pressa e avisa a V que neste momento ela está em uma ônibus espacial junto da presidente e que estão sob ataque da facção terrorista de Kurt Hansen. A netrunner alerta que foram atingidas por um míssil e irão cair no distrito de Dogtown, que é liderada pelo terrorista Hansen. Colocando a presidente Myers dentro da cabine segura, caberá a V ajudar a tirar a presidente de dentro de Dogtown em segurança, encontrar o paradeiro da Songbird enquanto trabalha com um agente da FIA, Solomon Reed em uma trama de espionagem e intrigas políticas.

review cyberpunk 2077 phantom liberty campanha missões

O foco central da campanha de Phantom Liberty é permeado de escolhas morais e de confiança que irá fazer o jogador questionar em quem confiar em uma trama política e de espionagem recheada de personagens com morais dúbias e objetivos escusos em uma soma de treze missões principais.

Sendo palco de quatro personagens chaves centrais, diria que o pouco tempo de campanha é o suficiente para conquistar a empatia dos jogadores e tornar crível todas as questões pessoais de cada um graças ao rico e invejável trabalho de roteiro que consegue trabalhar de forma direta e clara o passado e presente de cada um onde todos procuram a liberdade, mas estão presos ao passado, sistema e em convicções.

review cyberpunk 2077 phantom liberty kurt hansen

Enquanto Rosalind Myers se apresenta como uma presidente destemida, é fácil visualizar que ela é capaz de fazer qualquer coisa para passar por cima de amigos para conseguir o que almeja e para conseguir ter chego ao seu atual posto, teve que fazer coisas questionáveis para chegar nele e está disposta a fazer o que for necessário para garantir o segredo dos seus erros. Tais ações também se refletem no seu rival, Kurt Hansen, que preso em uma situação, é só mais uma marionete de um sistema que o descartará caso decida sair do que foi combinado.

Solomon Reed é um homem honrado e que acredita nos seus ideais e no seu país, mesmo sendo traído no passado. Sendo buscando ajudar os seus, Reed simboliza um homem que se culpa pelos erros dos outros e escravo de suas convicções.

Songbird é a personagem mais rica de todo o DLC, sendo incompreendida e rebelde desde cedo, encontrou em Reed um amigo, mas como sempre se sentiu sozinha, acabou cometendo uma cadeia de traições e erros que a jogou em uma situação insustentável e será a personagem onde o jogador mais terá dúvidas das suas reais intenções.

review cyberpunk 2077 phantom liberty campanha

Como gosto pessoal, diria que a campanha de Phantom Liberty é melhor resolvida e mais intrigante que a própria campanha principal. Muito pelos seus personagens mais profundos, mas também por missões diversas e divertidas que enriquecem toda a experiência narrativa. No jogo vamos desde uma intricada invasão por esgotos e uma infiltração furtiva guiando Reed pelos guardas até um segmento meio de terror onde temos que esconder de uma aranha robótica que dá instakill.

Sendo o epicentro da toda a narrativa de Phantom Liberty, Dogtown se trata de um distrito murado dentro de Pacifica devastado por disputas e repleto de ciberpsicopatas, onde sinaliza o retrata o cenário mais degradante do jogo, com ruas e avenidas destruídas, prédios em ruínas, marginais perigosos dominada pelo exército pessoal de Hansen presente em várias esquinas do local.

O jogo conta com uma atividade nova e exclusiva de Dogtown, onde cargas de armas caem do céu de forma aleatória e se torna alvo de disputas locais, com grupos de marginais que disputam o carregamento com o exército de Hansen onde o jogador é livre pra entrar no meio desse conflito onde será bem recompensado com armas e equipamentos que valem a disputa.

Para o gameplay, Phantom Liberty adiciona uma nova árvore de habilidades que é a do Relic, focada em melhorias de cyberware como novos movimentos para as lâminas Mantis, Braços de Gorila, camuflagem, Monofio, lançamento de projéteis e muito mais.  Para conseguir pontos para desbloquear habilidades do Relic, existem terminais de dados da Militech espalhados por Dogtown e que não estão marcados no mapa. Apesar da obtenção deles não necessitar que a gente suba de nível, a forma simples de obtê-los apenas vasculhando o pequeno distrito deixa essa atividade meio sem graça por falta de desafio, onde o jogo facilita por que quer que você consiga use essas habilidades, mas adiciona uma tarefa chata para isso.

review cyberpunk 2077 phantom liberty arvore de habilidades relic

O jogo conta com missões secundárias, seja as dadas pelo Sr. Hands quanto tantas outras. Todas são bem divertidas e revelam o fácil domínio da CD Projekt Red, com motivações diferentes e criativas, com design de quests invejáveis e que não passam a sensação de encheção de linguiça que outros games do mercado passam.

review cyberpunk 2077 phantom liberty missoes secundarias hands

O jogo conta com mais de 100 itens novos como armas, veículos, cibernéticas, lançadores de mísseis e equipamentos que mudam a aparência que irão adicionar uma nova dose de novidades, tornando uma DLC robusta. O jogo conta também com um novo limite de nível, o que antes era 50, agora podemos atingir o level 60.

Na minha experiência, experimentei alguns bugs que prejudicaram o progresso, mas eram solucionáveis apenas carregando o save novamente. Coisas como tela inicial travando, personagens flutuando em combates e inimigos presos em objetos foram bugs que eu presenciei. Algumas quedas de fps em locais com mais NPCs também ocorreram, mas na maior parte do tempo o jogo rodou bem, muito longe da experiência de lançamento do jogo original, mas nada isento de pequenos problemas.

Vale a Pena?

Review Cyberpunk 2077 Phantom Liberty vale a pena

Cyberpunk 2077: Phantom Liberty traz consigo não só uma intrincada e bem construída narrativa de espionagem e suspense onde o jogador ficará verdadeiramente confuso sobre as motivações dos novos e ricos personagens, mas é acompanhado também de uma atualização que transforma o jogo original a ponto de ser recomendado que o jogador inicie toda a jornada novamente para enxergar um nova experiência de gameplay.

A inclusão do renomado ator Idris Elba assumindo o papel de Solomon Reed acaba se revelando uma decisão fndamentall, pois além do invejável trabalho de roteiro e texto, as expressões e interpretação do ator acabam roubando toda a cena do DLC, chegando a querermos mais dele na série.

No fim, apesar de ser um produto alheio à atualização 2.0, Phantom Liberty vale a pena ser jogado, pois é o showcase perfeito da evolução do jogo e um claro esforço da CD Projekt Red em mostrar que estão decididos em provar o seu valor.

Review da Atualização 2.0 de Cyberpunk 2077

Não existe exemplo melhor para definir um lançamento catastrófico como ocorreu em 2020 com Cyberpunk 2077. O estado decepcionante do jogo da CD Projekt Red gerou uma nota 6.8 no nosso review de Cyberpunk 2077 na época. Em uma tentativa louvável de recuperar a confiança perdida, a CD Projekt Red investiu na busca de valorizar o seu produto lançando centenas de melhorias, dezenas de atualizações, versões aprimoradas para a nova geração e um anime que foi substancial para trazer de volta jogadores ao game, tornando Cyberpunk 2077 uma experiência muito melhor hoje em dia.

Fazendo parte do planejamento estratégico de recuperação da IP, a CD Projekt Red lançou novamente uma nova atualização, dessa vez prometendo ser a maior e mais fundamental de todas já lançadas, a atualização 2.0 é um patch tão revolucionário que reformula bases de gameplay, potencializando e mudando boa parte da experiência da versão anterior.

review cyberpunk 2077 phantom liberty dogtown gameplay

Na atualização 2.0 os movimentos de gameplay são muito mais precisos e a mira possui um ajuste que a torna muito mais efetiva.

O jogo descarta a confusa e inútil árvore de habilidades, removendo o excesso de habilidade passivas e reformulando sua estrutura. Agora elas são bem mais ordenadas, mais fáceis de entender visualmente, separando habilidades principais e vantagens secundárias onde habilidades agora são mais fundamentais na construção do seu personagem e as vantagens permitam melhorias nas estatísticas e efeitos adicionais das mesmas.

O jogo conta com habilidades novas e com maior apelação de causa e efeito com a capacidade de correr de forma bem mais rápida, tanto terrestre quanto aérea, desviar balas com a katana e rebatê-las contra o inimigo, fuzilar m único alvo com hacks e uma quantidade satisfatória de habilidades mais divertidas que solidifica o combate.

review cyberpunk 2077 phantom liberty gameplay

O jogo implementou uma leva de novas mudança onde o vigor não é mais consumido ao correr, e sim ao disparar com armas, cibernéticas estão agora conectadas à armaduras e não mais às roupas e combate em veículos agora permite que consigamos atirar de dentro do carro ou em cima de uma moto.

As IAs dos inimigos também sofreram melhorias e com isso os combates são mais dinâmicos, onde inimigos possuem tomadas de ação mais claras e menos inconsistentes como era antes, com adversários com armas de curto alcance se aproximando de você e os com armas de longo alcance atirando e se escondendo atrás de objetos de cenário. Algo que teoricamente lógico em um jogo normal, mas em Cyberpunk 2077 não acontecia com tamanha obviedade. É claro que problemas de IA ainda vão ocorrer, com inimigos ainda se tornando um alvo fácil para jogadores que adotem um estilo mais furtivo ou se enfileirando em portas, facilitando o trabalho do jogador.

review cyberpunk 2077 phantom liberty atualização 2.0

Com todas essas mudanças, fica fácil perceber que a distância de poder entre V e seus inimigos foi encurtada e a joia da coroa destas mudanças foi a reformulação de sua estrutura de árvore de habilidades, onde elas desempenham um papel bem mais importante para o sucesso das batalhas, tornando o ato de construir melhor o seu personagem  mais importante que a mera contagem de números na tela.

O sistema de loot também sofreu reformulações, abandonando o modelo antigo de um campo de batalha após combates recheados de armas inúteis e lixo supervalorizado, dando lugar a equipamentos melhor definidos onde você consegue identificar vantagens e desvantagens de cada arma, definidos por raridade e eficácia, facilitando por causa de uma interface mais clara e objetiva.

Não só a árvore de habilidades e classificações de armas sofreram mudanças, mas a UI de diversos menus também passou por melhorias como o diário de missões com guias mais simplificadas, menu do telefone com mensagens listadas como lidas e não lidas.

review cyberpunk 2077 phantom liberty graficos

A criticada polícia de Night City também conquistou ajustes, com policiais reagindo melhor às ações do jogador e conseguindo se organizar melhor, embora continuem meio burros. Os policiais que patrulham investigarão algum tipo de comoção provocada pelo jogador pedirão reforços caso o identifique e irão escalar cada vez mais com reforços caso o jogador teime em continuar, tornando o ato de sobreviver a hordas de policiais uma das coisas mais divertidas da atualização 2.0.

Falando sobre mudanças em Night City, há mais carros e tráfegos nas ruas e estradas, mudança que possa ter sido gerada por melhores IAs de NPCs e melhorias no combate de carros.

O item de cura e as grandas também sofreram um ajuste fundamental, sendo agora um recurso infinito que pode ser melhorado e  que vai se enchendo sozinho com o tempo. Esse pequeno ajuste faz uma diferença notável, já que tiroteios ficam mais dinâmicos e o jogador não precisa se preocupar tanto com a administração do seu uso.

Com tantas melhorias essenciais e que mudam o funcionamento de suas bases, a atualização 2.0 de Cyberpunk 2077 é a mais importante do jogo até aqui. Apesar de não ser suficiente para melhorar outros aspectos prometidos antes do lançamento, como uma narrativa com maiores caminhos de decisão, ela ajuda a tornar a construção de personagem algo mais único e com maior controle do jogador.

A atualização 2.0 do Cyberpunk 2077 será lançada em 21 de setembro.

*Jogo analisado no PS5 com cópia fornecida pela CD Projekt Red.
Notas do Jogo
Review Cyberpunk 2077 Phantom Liberty ps5 boxart

Título: Cyberpunk 2077: Phantom Liberty

Descrição do jogo: Phantom Liberty é uma nova aventura e thriller de espionagem para o mundo aberto de ação e aventura do RPG Cyberpunk 2077. Quando a nave espacial da presidente dos Novos Estados Unidos da América é abatida sobre o distrito mais mortífero de Night City, só há uma pessoa que a pode salvar: tu. Torna-te V, um ciber-mercenário, e mergulha numa rede de espionagem e intriga política, desvendando uma história que interliga os mais altos escalões de poder e o mundo brutal de mercenários clandestinos.

Gênero: RPG

Lançamento: 26/09/2023

Produtora: CD PROJEKT SA

Distribuidora: CD PROJEKT SA

COMPRAR

Nota
9.1/10
9.1/10
  • História - 10/10
    10/10
  • Jogabilidade - 9/10
    9/10
  • Gráficos - 8.5/10
    8.5/10
  • Trilha Sonora e Som - 9/10
    9/10

Veredito

Cyberpunk 2077: Phantom Liberty traz consigo não só uma intrincada e bem construída narrativa de espionagem e suspense onde o jogador ficará verdadeiramente confuso sobre as motivações dos novos e ricos personagens, mas é acompanhado também de uma atualização que transforma o jogo original a ponto de ser recomendado que o jogador inicie toda a jornada novamente para enxergar um nova experiência de gameplay.

A inclusão do renomado ator Idris Elba assumindo o papel de Solomon Reed acaba se revelando uma decisão fndamentall, pois além do invejável trabalho de roteiro e texto, as expressões e interpretação do ator acabam roubando toda a cena do DLC, chegando a querermos mais dele na série.

No fim, apesar de ser um produto alheio à atualização 2.0, Phantom Liberty vale a pena ser jogado, pois é o showcase perfeito da evolução do jogo e um claro esforço da CD Projekt Red em mostrar que estão decididos em provar o seu valor.

Vantagens

  • Personagens bem construídos e ricos;
  • Campanha principal divertida e intrigante;
  • Textos e diálogos continuam muito bons;
  • Reestruturação da árvore de habilidade fundamental;
  • Melhorias de IA melhoram os combates;

Desvantagens

  • Bugs e quedas de fps ainda acontecem, em menor número;

Qual a sua Opinião?

Gostei Gostei
6
Gostei
HAHAHA HAHAHA
33
HAHAHA
Não Gostei Não Gostei
60
Não Gostei
Bravo Bravo
26
Bravo
Legal Legal
40
Legal
Chorando Chorando
46
Chorando
Surpreso Surpreso
53
Surpreso
San Moreira
San Moreira tem 33 anos e é natural de São Paulo. Eu sou formado em Banco de Dados e Gestão Empresarial. Amante da cultura gamer, sempre apaixonado pelo universo. Atuando como jornalista e Content Manager de games com foco na plataforma PlayStation e Battle Royales como Free Fire. Teve a ideia de criar este site exclusivamente pela vontade informar e ajudar a comunidade gamer.