Melhores jogos lançados de Baldur’s Gate


Melhores jogos lançados de Baldur's Gate

Baldur’s Gate é uma série de RPG Dungeons & Dragons por excelência, abrigando jogos magníficos repletos de profundidade e uma ambição narrativa desmedida. Cada jogo presente na série brinda os jogadores com uma nova e incrível experiência, repleta de uma narrativa heroica e épica, geralmente com ameaças que pairam sobre o mundo e confiam ao jogador a árdua missão de salvá-lo.

A trama é impulsionada por missões envolventes e pela presença de um elenco diversificado de personagens com personalidades singulares e arcos pessoais, o que ajuda os jogadores a se sentirem profundamente conectados com seus papéis no jogo. Todos esses elementos contribuem para solidificar a série Baldur’s Gate como uma das melhores do gênero, tornando a escolha de um vencedor uma tarefa verdadeiramente difícil.

8. Baldur’s Gate: Siege of Dragonspear

Baldur's Gate Siege of Dragonspear

Nota no Metacritic: 77

  • Plataforma(s): PC, macOS
  • Lançado: 21 de dezembro de 1998
  • Desenvolvedor(es): BioWare
  • Gênero(s): RPG

Uma expansão imperdível chegou para a versão aprimorada do jogo clássico Baldur’s Gate: Siege of Dragonspear. Embora tenha sido bem recebida pelos fãs, não atingiu os níveis de sucesso alcançados pelo jogo principal. A história se desenrola entre os eventos do primeiro e do segundo jogo, acompanhando os heróis em sua busca pelas remanescentes forças de Sarevok após sua derrota. No entanto, uma nova ameaça surge com a figura de Caelar Argent e sua cruzada sangrenta.

Siege of Dragonspear trouxe consigo uma história cativante que expandiu o universo de Baldur’s Gate, mas, ao ser comparada com os episódios anteriores da série, revela algumas deficiências em termos de qualidade. A narrativa certamente irá agradar à maioria dos aficionados, mas não pode ser considerada perfeita. Isso é particularmente notável nos dias atuais, quando a maioria dos jogadores reluta em mergulhar em jogos considerados antiquados, muito menos investir em um pacote de expansão.

7. Baldur’s Gate: Dark Alliance 2

Baldur's Gate Dark Alliance 2

Nota no Metacritic: 78

  • Plataforma(s): PC, PS2, PS4, PS5, Switch, Xbox (Original), Xbox One, Xbox Series X, Xbox Series S
  • Lançado: 20 de janeiro de 2004
  • Desenvolvedor(es): Estúdios Black Isle, Interação
  • Gênero(s): RPG de ação

Dentre os jogos que ostentam o nome da icônica cidade da Costa da Espada, Baldur’s Gate, Dark Alliance 2 se destaca como um dos poucos que concentra sua narrativa principalmente em Baldur’s Gate. Aqui, os jogadores enfrentam uma miríade de ameaças, que vão desde gangues de goblins saqueadores até temíveis dragões, recriando fielmente a atmosfera de uma partida de jogo de mesa, repleta de monstros e missões interligadas. A adição de cinco personagens jogáveis confere aos jogadores uma certa liberdade para moldar suas experiências em Dark Alliance 2.

O jogo se destaca com seu combate acelerado e em tempo real, típico dos hack and slash, oferecendo uma ampla variedade de personagens, missões e armas. Isso mantém o jogo fresco e intrigante, com alto potencial de rejogabilidade caso os jogadores optem por assumir o papel de personagens diferentes em partidas subsequentes. No entanto, vale mencionar que, embora Dark Alliance 2 seja uma sequência sólida, ele não consegue se destacar o suficiente em relação ao seu predecessor, e alguns argumentam que não consegue capturar completamente a magia do original.

6. Baldur’s Gate: Dark Alliance

Baldur's Gate Dark Alliance

Nota no Metacritic: 87

  • Plataforma(s): PS2, GameCube, Xbox (Original), Game Boy Advance, PS4, PS5, Xbox One, Xbox Series X, Xbox Series S
  • Lançado: 2 de dezembro de 2001
  • Desenvolvedor(es): Estúdios Cegos de Neve
  • Gênero(s): RPG de ação, Hack and Slash

A primeira entrega da dupla Dark Alliance divide sua história em três atos, cada um ambientado em locais distintos de Faerun. Nessa jornada, o jogador e seu grupo enfrentam ameaças variadas, como o observador Xantam, o formidável dragão de gelo Ciraxis e, mais notavelmente, o principal antagonista Eldrith, o Traidor. Eldrith, outrora general do exército de Baldur’s Gate, nutre agora um desejo de vingança contra a cidade que um dia serviu.

Dark Alliance conquistou o coração dos fãs de Baldur’s Gate, apresentando uma trama inteligente, uma cativante seleção de personagens, e um vilão crível em seu elenco. Cada personagem é rico em profundidade, exibindo facetas que permitem que suas personalidades brilhem. No entanto, o jogo não resiste aos padrões atuais devido ao envelhecimento de sua tecnologia de origem e sofre de repetições tanto na trilha sonora quanto nas mecânicas de combate.

5. Baldur’s Gate: Tales of the Sword Coast

Baldur's Gate Tales of the Sword Coast

Nota no Metacritic: N/A

  • Plataforma(s): PC
  • Lançado: 30 de abril de 1999
  • Desenvolvedor(es): BioWare
  • Gênero(s): RPG

Tales of the Sword Coast foi mais uma expansão desenvolvida para o jogo original Baldur’s Gate, presenteando os jogadores com um acréscimo de 20 a 30 horas de gameplay no amado universo. A história se desenrola paralelamente aos eventos do jogo principal, acompanhando o personagem do jogador, conhecido como Ward, e seus companheiros de jornada, enquanto atravessam a Costa da Espada em busca de empregos tipicamente aventurosos. Estes vão desde a busca por artefatos mágicos até a defesa contra ataques de lobisomens.

Tales of the Sword Coast foi, em geral, uma adição bem recebida ao jogo original, trazendo novas narrativas e áreas a serem exploradas, juntamente com missões bem planejadas. No entanto, alguns encontros poderiam ser um tanto frustrantes, e as melhorias na jogabilidade eram relativamente limitadas.

4. Baldur’s Gate 2: Throne of Bhaal

Baldur's Gate 2 Throne of Bhaal

Nota no Metacritic: 88

  • Plataforma(s): PC
  • Lançado: 21 de junho de 2001
  • Desenvolvedor(es): BioWare
  • Gênero(s): RPG

Baldur’s Gate 2, a sequência muito querida da série Baldur’s Gate, conquistou tanto o coração dos fãs que recebeu uma expansão na forma de Throne of Bhaal. Nesta expansão, os jogadores tinham a escolha de criar um novo personagem personalizado ou importar seu herói existente do jogo principal, já que a história de Throne of Bhaal se desenrola após os eventos de BG2.

A cidade de Tethyr é consumida pela guerra, e a missão recai sobre o personagem do jogador e seus companheiros de aventura viajar para diversos locais e enfrentar os formidáveis Cinco, lendários Bhaalspawn. Como o próprio nome sugere, essa empreitada está longe de ser simples, resultando em uma jornada épica que atenderá às expectativas dos ávidos fãs de Baldur’s Gate 2. Com suas opções de personalização, enredo ambicioso e um desfecho que fecha com chave de ouro, Throne of Bhaal se torna um item essencial para os aficionados da série.

3. Baldur’s Gate

Baldur's Gate

Nota no Metacritic: 91

  • Plataforma(s): PC, macOS
  • Lançado: 21 de dezembro de 1998
  • Desenvolvedor(es): BioWare
  • Gênero(s): RPG

O sucesso da franquia Baldur’s Gate se deve, em grande parte, ao jogo original, que foi um dos primeiros títulos massivos baseados no famoso jogo de interpretação de papéis de mesa da Wizard’s of the Coast, o TTRPG. Ambientado no sempre fascinante cenário de Faerun do Dungeons & Dragons, a trama acompanha a jornada de um pupilo órfão de um mago, que, de maneira inexplicável, é expulso de Candlekeep uma noite, quando a fortaleza é cercada, forçando-o a escapar para a Costa da Espada.

O enredo, que à primeira vista parece simples e como se tivesse sido imaginado em uma mesa de jogo de RPG em uma loja local, se aprofunda à medida que a história se desenrola, elevando os riscos a ponto de quase provocar uma guerra entre nações. Considerando a época em que o primeiro jogo foi lançado, ele se destaca como um exemplo exemplar de um RPG, oferecendo opções de customização consideravelmente robustas que têm um impacto significativo na jogabilidade, incluindo escolhas de classe e a construção da reputação do personagem.

2. Baldur’s Gate 2: Shadows of Amn

Baldur's Gate 2 Shadows of Amn

Nota no Metacritic: 95

  • Plataforma(s): PC
  • Lançado: 21 de setembro de 2000
  • Desenvolvedor(es): BioWare
  • Gênero(s): RPG

Após o estrondoso sucesso do primeiro jogo, era apenas uma questão de tempo até que uma sequência fosse lançada, e assim aconteceu com Baldur’s Gate 2: Shadows of Amn, que chegou dois anos depois. Embora carregue o nome da cidade de Baldur’s Gate, a maior parte da ação em Shadows of Amn se desenrola no país de Amn, um lugar habitado por diversas facções distintas, como os Shadow Thieves e os Cowled Wizards.

Como era de se esperar de uma sequência de um jogo tão bem-sucedido, BG2 mantém tudo o que tornou seu antecessor tão marcante e aprimora ainda mais a experiência. A jogabilidade, as missões e a trama principal são envolventes e absorventes, sem se arriscar a perder o rumo da série.

1. Baldur’s Gate 3

Baldur's Gate 3

Nota no Metacritic: 96

  • Plataforma(s): PC, Estádio, macOS, PS5
  • Lançado: 3 de agosto de 2023
  • Desenvolvedor(es): Estúdio Larian
  • Gênero(s): RPG

A mais recente adição à série Baldur’s Gate também é a mais ambiciosa: Baldur’s Gate 3. Lançado mais de 20 anos após o segundo jogo, seu desenvolvimento foi liderado pela renomada Larian Studios, e sua abordagem única aos jogos de RPG é claramente visível em BG3. O enredo gira em torno do personagem jogável, que pode ser um herói personalizado ou um dos personagens de origem, sendo sequestrado por Mindflayers e infectado por um girino que gradualmente o transformará em uma dessas criaturas.

A jornada para remover o girino leva o jogador a explorar toda Faerun, onde encontram lugares fascinantes e pessoas intrigantes, além de se depararem com escolhas que podem influenciar o curso da história e o destino de seus companheiros no acampamento. A imensa excelência deste título conquistou fãs em todo o mundo, e é fácil entender o porquê. BG3 estabeleceu um novo padrão para jogos de RPG, deixando um legado que os futuros jogos terão dificuldade em igualar.


San Moreira
San Moreira tem 33 anos e é natural de São Paulo. Eu sou formado em Banco de Dados e Gestão Empresarial. Amante da cultura gamer, sempre apaixonado pelo universo. Atuando como jornalista e Content Manager de games com foco na plataforma PlayStation e Battle Royales como Free Fire. Teve a ideia de criar este site exclusivamente pela vontade informar e ajudar a comunidade gamer.