Review | Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder’s Revenge


Review Teenage Mutant Ninja-Turtles Shredder’s Revenge

Desenvolvido pela Dotemu e a Tribute Games, Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder’s Revenge foi anunciado surpreendendo pela volta às origens. Com gráficos pixelados vindo da era 16 bits, o jogo se assumiu como uma clara representação dos jogos clássicos.

A nova geração pode desconhecer a série ou só ter conhecido pelo filme do Michael Bay, mas jogadores com seus 30 a 40 anos devem conhecer bem Leonardo, Michelangelo, Donatello e Rafael. O impacto na cultura pop das Tartarugas Ninjas foi grande nos anos 80 e 90. Apesar de ser esquisito, ver tartarugas mutantes lutando contra o crime na cidade de Nova York enquanto comem pizza gritando “Cowabunga” não era tão bizarro quando éramos crianças como possa parecer nessa breve descrição.

 

Para os jogadores mais velhos, é impossível ouvir o nome da série sem lembrar do icônico jogo lançado para SNES, o Turtles in Time. Com isso em mente, a Dotemu e a Tribute Games decidiram trazer todos os conceitos e características dessa era dos games e lançaram Shredder’s Revenge.

História

Review Teenage Mutant Ninja Turtles Shredder’s Revenge

Em um dia nos esgotos da Nova York, as quatro Tartarugas Ninjas (Leonardo, Michelangelo, Donatello e Rafael) junto com a ágil repórter April O’Neil e o Mestre Splinter assistem TV no jornal do Canal 6. O repórter anuncia um dia de comemoração com um presente, o presente se abre e a cabeça de um androide surge de dentro dela emitindo ondas sonoras, logo diversos dirigíveis cercam a Estátua da Liberdade. O javali Bebop surge novamente na transmissão anunciando que a estátua irá ganhar mudanças.

Bebop anuncia que o Clã do Pé, o clã ninjutsu liderado pela terrível Destruidor irá trazer o caos. Sabendo disso as Tartarugas Ninja decidem ir para o canal 6 e impedir que os vilões alcancem o seu objetivo e assim o jogo começa.

Não precisamos dizer que a história não é o ponto forte de Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder’s Revenge e ela só está ali para servir como propósito para o gameplay, não o contrário. Aspectos como profundidade, desenvolvimento de personagens, grandes cenas ou reviravoltas de roteiro não estarão presentes no jogo.

O jogo até se esforça na tarefa de contar sua história e usa pequenas cenas com quadros pixelados e pouco texto no término de cada fase para ilustrar genericamente os passos da aventura e justificar a transição incomum do storyboard das fases.

Definitivamente, se o que você procura seja uma boa história, Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder’s Revenge não está muito preocupado com isso.

Gameplay

Review Teenage Mutant Ninja Turtles Shredder’s Revenge

Não é segredo, Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder’s Revenge é um beat’em up side scrolling inspirado nos clássicos da era 16 bits e foca quase que inteiramente nessa proposta, herdando muitas qualidades, mas também defeitos da época.

Review Teenage Mutant Ninja Turtles Shredder’s Revenge

O jogo possui dois modos, o modo história e o modo arcade. No modo história o jogador irá passar por 16 fases (chamadas aqui de episódios) por um mapa inspirado nos clássicos como Super Mario World. No modo arcade, onde o jogo resgata a experiência clássica e remove os saves automáticos, restando apenas as vidas limitadas adquiridas durante o jogo.

Review Teenage Mutant Ninja Turtles Shredder’s Revenge

No jogo, o jogador poderá escolher 7 personagens (Leonardo, Michelangelo, Donatello, Rafael, April O’Neil, Mestre Splinter e o desbloqueado Casey Jones). Também é possível jogar com até 4 jogadores local ou até 6 online, inclusive se você quer resgatar o verdadeiro sentimento nostálgico, sugiro jogar com amigos, a experiência melhora muito.

Com movimentos simples e fáceis de dominar, todos os personagens possuem os mesmos comandos, mas que se diferenciam pelos efeitos e características individuais dos status de cada um. Cada personagem possui 3 atributos (alcance, velocidade e força) que agregam na versatilidade de experiência refletindo no gameplay. Além disso, o personagem possui uma espécie de nível, que é aumentado pelos pontos adquiridos ao derrotar inimigos. Quanto mais alto seu nível, mais forte você fica, mais vidas você ganha e mais golpes especiais você adquire agregando um pouco a mais no fator replay e estimulando que os jogadores joguem com outros personagens.

Review Teenage Mutant Ninja Turtles Shredder’s Revenge

Sobre as fases, seguindo o padrão do gênero, elas se limitam a trazer hordas de inimigos subdivididos em telas onde trazem itens e NPCs colecionáveis e objetos que podem afligir tanto dano tanto aos seus personagens como aos inimigos como barris explosivos, buracos de lava, canhões de raio e laser, buracos e etc. As famosas fases onde você fica em cima de “hoverboards” (espécie de skates voadores) estão de volta, trazendo fases onde vamos atrás de veículos monstruosos em estradas ou voamos pelos arranha-céus de Nova York. Acontece que a versatilidade de suas fases termina aí, se tornando pouco criativas e cansando o jogador pela sua repetição.

Review Teenage Mutant Ninja Turtles Shredder’s Revenge

Sobre os combates, o jogo é satisfatório e traz combos divertidos, mas não ao nível de outros jogos da Dotemu como Streets of Rage 4. Soando meio limitados logo depois de sua metade da campanha, apesar de ter uma grande variedade de inimigos com movimentos e formas de lidá-los de forma diferente, a falta de mais combos que poderiam ser adquiridos por meio dos níveis, empobrece um pouco a experiência. A IA dos chefes também não ajuda muito, podendo derrotá-los quase que inteiramente da mesma forma. Por diversas vezes o roteiro do combate é o mesmo, se resumindo a atacar (pulo duplo e ataque resolve boa parte das batalhas) para encher a barra de especial e soltar o ataque. Apesar dos chefes terem seus movimentos únicos, eles não chegam a desviar ou ter movesets complexos, facilitando boa parte dos combates.

Review Teenage Mutant Ninja Turtles Shredder’s Revenge

Gráficos

Desde o início Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder’s Revenge já revela que é fruto de uma homenagem nostálgica. A Dotemu revelou que a inspiração artística do jogo veio do clássico desenho animado dos anos 80 e dos jogos da era 16 bits. Com essa proposta em mente, eles realmente seguiram com o conceito e trouxeram um jogo que para qualquer desavisado, passaria desapercebidamente como um jogo lançado para SNES.

Review Teenage Mutant Ninja Turtles Shredder’s Revenge

Com uma paleta de cores colorida, mas limitada, Shredder’s Revenge apresenta até uma certa limitação em comparação com outras técnicas de pixel art. Até por isso os gráficos do jogo não enchem os olhos, apesar de boas animações de golpes, o jogo apresenta um trabalho padrão por própria escolha de estilo.

Contendo uma quantidade grande de cenários nas suas fases, passando pelos subúrbios de Nova York, esgotos cheios de ratos, centros de distribuição, elevadores, shoopings, emissoras de TV, laboratórios tecnológicos e submundos com triceratópes mutantes, o novo jogo das Tartarugas Ninja é bem reproduzido e ilustrado.

O jogo também conta com cenas pixeladas, mas não animadas, remetendo aos clássicos.

Trilha Sonora e Som

A música de Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder’s Revenge é composta por Tee Lopes, responsável por outras trilhas sonoras de jogos como: Sonic Mania, Streets of Rage 4, Metal Slug Tactics e League of Legends. Com músicas carregadas de guitarras e outros instrumentos, a trilha de Shredder’s Revenge reaproveita as músicas da franquia e as reinterpreta com arranjos um pouco mais modernos, mas sem perder sua essência e invocando ao jogador a um verdadeiro sentimento nostálgico.

Sua parte sonora como o som recebeu um tratamento retrô também, com sons abafados. O jogo possui legendas em português do Brasil, mas sem dublagem para a nossa língua. Contendo poucas partes dubladas, sua dublagem se limita a falar pequenas frases famosas do jogo e nomes de chefes no início de cada fase. Os sons do jogo também saíram com o mesmo sentimento da era 16 bits, mas mais uma vez, entendo a proposta, mas não são de boa qualidade e até algumas vezes inaudíveis.

Vale a Pena

Review Teenage Mutant Ninja-Turtles Shredder’s Revenge

Feito para jogadores nostálgicos, Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder’s Revenge é uma viagem no tempo. Carregando todas as particularidades de um legítimo beat’em up raiz da era 16 bits com alguns elementos modernos.

Abraçando e assumindo todo o formato retrô, Shredder’s Revenge herda vantagens e desvantagens como uma história descartável, gráficos pixelados aquém, sons abafados, chefes desinteressantes e um sentimento de repetição alto por conta de suas fases pouco criativas.

Com uma alta gama de personagens com velocidades, força e alcance diferentes, seu combate é divertido e irá trazer muita diversão aos jogadores nostálgicos e fãs das Tartarugas. Será sempre bom revisitar memórias tão afetivas vindas de tempos onde as coisas eram menos complicadas e mais lúdicas.

Notas do Jogo
Review Teenage Mutant Ninja-Turtles Shredder’s Revenge

Título: Teenage Mutant Ninja-Turtles: Shredder’s Revenge

Descrição do jogo: Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder’s Revenge apresenta jogabilidade inovadora baseada em mecânicas de luta atemporais e é trazido até você pelos especialistas em jogos de pancadaria da Dotemu (Streets of Rage 4) e da Tribute Games. Reunindo Leonardo, Michelangelo, Donatello e Rafael, você pode dar uns cascudos enquanto luta contra o Destruidor e seu fiel Clã do Pé, sozinho ou com até quatro amigos ao mesmo tempo! Baseado no lendário design das Tartarugas de 1987 e prestando homenagens aos jogos clássicos de TMNT, como Turtles in Time, os gráficos totalmente coloridos em pixel art proporcionam uma dose de nostalgia.

Gênero: Ação, Beat'em Up

Lançamento: 16/06/2022

Produtora: DOTEMU

Distribuidora: DOTEMU

COMPRAR

Nota
7.1/10
7.1/10
  • História - 5/10
    5/10
  • Jogabilidade - 7.5/10
    7.5/10
  • Gráficos - 7/10
    7/10
  • Trilha Sonora e Som - 9/10
    9/10

Veredito

Feito para jogadores nostálgicos, Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder’s Revenge é uma viagem no tempo. Carregando todas as particularidades de um legítimo beat’em up raiz da era 16 bits com alguns elementos modernos.

Abraçando e assumindo todo o formato retrô, Shredder’s Revenge herda vantagens e desvantagens como uma história descartável, gráficos pixelados aquém, sons abafados, chefes desinteressantes e um sentimento de repetição alto por conta de suas fases pouco criativas.

Com uma alta gama de personagens com velocidades, força e alcance diferentes, seu combate é divertido e irá trazer muita diversão aos jogadores nostálgicos e fãs das Tartarugas. Será sempre bom revisitar memórias tão afetivas vindas de tempos onde as coisas eram menos complicadas e mais lúdicas.

Vantagens

  • Versatilidade de personagens;
  • Versatilidade de inimigos;
  • Implementação de níveis;
  • Jogar com amigos;
  • Fases bem ilustradas;
  • Combate divertido;
  • Ótima trilha sonora;
  • Sentimento nostálgico.

Desvantagens

  • História descartável;
  • Fases pouco criativas;
  • IA de chefes ruim;
  • Gráficos em pixel art abaixo outros exemplos do mercado;
  • Fator replay prejudicado;
  • Sons abafados;