Assassin’s Creed Mirage: O final explicado


Review Assassin's Creed Mirage vale a pena

Assassin’s Creed Mirage, um prólogo de Valhalla, revelou-se um ponto crucial na saga de Assassin’s Creed, desvendando os segredos ocultos de Basim, o misterioso protagonista. Neste artigo, exploraremos a complexa narrativa de Mirage, revelando a verdadeira identidade de Basim e sua conexão com o Deus Loki, bem como as implicações desse enredo na trama geral da série.

Aviso: esta postagem contém SPOILERS para Assassin’s Creed Mirage e Assassin’s Creed Valhalla

Basim: O Ladrão em Busca de um Destino

No início de Mirage, Basim é apresentado como um ladrão comum, trabalhando nas ruas de Bagdá ao lado de sua amiga Nehal. Insatisfeito com sua vida de pobreza, Basim sonha em se tornar algo mais, apesar da oposição de Nehal. Sua vida dá uma guinada quando ele aceita uma tarefa dos Ocultos, levando-o a invadir um palácio e roubar um objeto misterioso desejado tanto pela Ordem dos Antigos quanto pelos Ocultos. O item revela-se um antigo disco que projeta hologramas, e a tragédia se desenrola quando Nehal acidentalmente mata um califa. Esta ação os coloca na mira de ambos os lados, e Basim parte para treinar com os Ocultos.

A Sombra do Passado: O Jinn

A vida de Basim toma um rumo sombrio quando ele é atormentado por uma figura misteriosa conhecida como “Jinn,” que representa uma parte desconhecida de seu passado. Essa sombra assustadora o atormenta, e a busca por sua verdadeira identidade se torna um fio condutor na trama de Mirage.

Qabiha e a Busca por Respostas

Review Assassin's Creed Mirage campanha ordem ancioes

Basim, agora treinado pelos Ocultos, retorna a Bagdá com a missão de eliminar a Ordem dos Antigos. Durante sua busca, ele encontra Qabiha, que o desafia a explorar um templo secreto de Isu que supostamente revelaria segredos sobre seu passado e a origem do Jinn. Esta busca é interrompida quando Roshan, líder dos Ocultos, chega e mata Qabiha, frustrando os planos de Basim.

Lealdade aos Ocultos: O Juramento de Basim

Roshan, ao saber das visões de Jinn de Basim, opta por não compartilhar informações com ele, desencadeando sua busca pessoal. No entanto, Basim continua a desafiar as regras dos Ocultos, que exigem que ele deixe seu passado para trás e abandone sua antiga identidade. A lealdade aos Ocultos entra em conflito com a busca de Basim por sua verdadeira origem.

O Descobrimento Chocante

Após deixar Roshan para trás, Basim faz uma descoberta surpreendente no templo secreto, que muda tudo. Ele e Nehal são, na verdade, a mesma pessoa. Basim percebe que foi ele quem matou o califa no palácio e aceita a verdade.

Assassin's Creed Mirage lançamento 2023 ps5 ps4 trailer

Basim é Loki: A Revelação Final

O enredo de Mirage atinge seu clímax quando é revelado que Basim é, na verdade, o Deus Loki. Nehal era a consciência de Loki, presa em Yggdrasil no jogo anterior, conectada a Basim. A história de Basim como Loki se assemelha à mitologia nórdica, onde Odin aprisiona Loki por envenenar Baldr, seu filho. O holograma no disco revela que a figura que tortura Basim é Odin, o Deus da Mitologia Nórdica.

Enkidu e a Mudança de Relação com Basim

No final de Mirage, Basim tenta chamar sua águia, Enkidu, que, ao contrário de antes, recusa-se a pousar em seu braço, percebendo a transformação que ocorreu em Basim após sua fusão com Loki. Essa reação do animal destaca a inteligência dos animais, particularmente das águias dos Ocultos, que sentiram a mudança na essência de Basim.

Conclusão: O Caminho de Basim e o Próximo Capítulo

O final de Mirage revela o verdadeiro destino de Basim como Loki e inicia sua busca por vingança. Esta história complexa se conecta diretamente aos eventos de Assassin’s Creed Valhalla, onde Basim, agora consciente de sua verdadeira identidade, parte em busca da reencarnação de Odin, desencadeando uma nova e emocionante fase na saga Assassin’s Creed.

Assim, Assassin’s Creed Mirage desempenha um papel fundamental na evolução do enredo da série, revelando as complexidades da identidade de Basim e seu destino ligado aos Deuses da Mitologia Nórdica. A jornada de Basim é um testemunho da riqueza narrativa presente na série, mantendo os jogadores ansiosos para desvendar cada reviravolta na trama.

Confira outros artigos relacionados:


San Moreira
San Moreira tem 33 anos e é natural de São Paulo. Eu sou formado em Banco de Dados e Gestão Empresarial. Amante da cultura gamer, sempre apaixonado pelo universo. Atuando como jornalista e Content Manager de games com foco na plataforma PlayStation e Battle Royales como Free Fire. Teve a ideia de criar este site exclusivamente pela vontade informar e ajudar a comunidade gamer.