Review | DOOM Eternal


doom eternal análise crítica review

Depois do elogiado e aprovado reboot, o DOOM (2016), fãs e amantes da franquia estavam ávidos pelo FPS mais raiz e visceral dos games. DOOM Eternal foi anunciado na E3 de 2018 prometendo trazer tudo aquilo que já foi feito no reboot com muitas melhorias e mais dinamismo.

Com sangue, hordas de demônios, muito tiro, cenários pitorescos, novas mecânicas, desmembramentos, explosões e uma trilha sonora com heavy metal rasgando seus ouvidos, DOOM Eternal chega arrebentando a porta pra se provar como o jogo de tiro mais visceral e desafiante que você irá jogar nessa geração.

História

A história ocorre após os eventos de DOOM (2016), onde a Terra acabou sendo invadida por demônios e exterminaram 60% da população do planeta. Os humanos que sobreviveram fugiram da Terra e outro se uniram à ARC (Union Aerospace Corporation), uma espécie de movimento de resistência contra os demônios.

Você é ainda Doom Slayer, um soldado de alta elite que acabou sendo teletransportado para uma fortaleza satélite para impedir a invasão demoníaca e sua tarefa no jogo é matar os Sacerdotes do Inferno: Deags Nilox, Ranak e Frav. Os sacerdotes estão conjurando um ritual que invoca vários demônios na Terra a fim de colonizá-la e cabe a Doom Slayer matá-los e cessar o ritual. Estes sacerdotes servem a um ser angelical conhecido como Khan Maykr, que é o ser que busca sacrificar toda a humanidade pela sobrevivência de sua raça.

Doom Slayer consegue matar o primeiro sacerdote e Khan Maykr transporta os dois sacerdotes restantes para locais desconhecidos, forçando o Slayer a continuar procurando e para achá-los, precisará procurar um localizador celestial.

Campanha

O jogo de baseia em fases para progredir a sua narrativa. Doom Slayer agora ganhou um hub, que é a Fortaleza da Destruição, uma espécie de base em formato de castelo que sobrevoa o espaço. A já conhecida inteligência, VEGA, repassa as informações necessárias para o nosso estripador de demônios e nos direciona para os planetas e locais para progredirmos com a missão de cessar a invasão dos demônios.


 

A narrativa usa de curtas cenas básicas e narração durante o jogo para repassar as informações cruciais do enredo para não atrapalhar o ritmo frenético do gameplay, por isso ele usa também de registros (codex) encontrados nas fases para para aprofundar backgrounds importantes do arco narrativo.

Para amantes de jogos com histórias cheias de personagens elaborados e cenas narrativas marcantes podem se frustrar com o trabalho propositalmente raso no âmbito narrativo, mas é importante ressaltar que a franquia DOOM nunca foi cuidadosa com sua história.

Gameplay

Aqui que o jogo brilha e diz a que veio. É preciso, antes de tudo avisar que DOOM Eternal é um jogo difícil e desenvolvido para jogadores que já conhecem a franquia, portanto jogadores de primeira viagem podem se frustrar no início com a proposta e dificuldades acima do padrão de jogos FPS.

doom eternal análise crítica review

Carregando diversas mecânicas consolidadas do seu antecessor de 2016, DOOM Eternal é ainda mais frenético e dinâmico. Você pode pular, usar pulo duplo, aplicar dashs consecutivos no chão e no ar, atirar com as várias opções de armas, socar, aplicar as famosas Execuções Gloriosas, usar bombas comuns e de gelo, escalar e pendurar em barras suspensas. Apenas para deixar registrado, Doom Slayer possui uma barra de armadura que serve como uma espécie de segunda barra de saúde.

Com uma movimentação ágil e muito fluída, não ache que ficar camperando e se esconder atrás de paredes e pilastras irá facilitar a sua vida, pelo contrário, é a pior maneira de se jogar um jogo de DOOM, portanto não tente dar uma de esperto, os desenvolvedores conhecem os hábitos de jogadores de FPS e vão te castigar por tentarem fugir da proposta de gameplay. Os inimigos não irão ficar parados só atirando de longe, eles irão em direção a você sempre. 

doom eternal análise crítica review

Com isso, o jogo te força a estar em constante movimento pelo mapa de batalha, usar todas as armas possíveis ao seu dispor para cada situação. Falando sobre armas, algumas retornaram, outras novas surgiram e todas foram melhoras. Usando armas laser, escopetas, metralhadoras, armas de plasma, armas que disparam bombas adesivas, lança mísseis e tantas outras, o jogo possui uma quantidade considerável de formas de trocar de estratégia.

Tomar dano é uma proposta inevitável no gameplay e para isso o jogo implementa mecânicas de apoio para que você continue sempre atirando nas hordas de demônios sem nenhuma pausa. Quando você atira em demônios, quando próximos da morte, eles ficarão brilhando em estado de paralisia e ao aplicar a Execução Gloriosa (animações onde você irá despedaçar cada demônio de forma impiedosa), eles podem dropar saúde, se você utilizar o lança-chamas nos inimigos, eles podem dropar artefatos de armadura. Quando você estiver já sem munição com nenhuma arma, a motosserra retorna e ao acertar em demônios carregada de combustível que ficam espelhados pelos mapas, fazem o demônio dropar munição e saúde. Portanto, o jogo não quer que você pare de atirar.

Arsenal, Traje e Runas

doom eternal análise crítica review

Com uma gama variada de armas, o jogo implementa modificações que podem ser desbloqueadas para cada arma  do seu arsenal que pode destravar dois modos especiais de tiro cada e cada modo possui melhorias que podem ser melhoradas com o uso de itens coletados pelos mapas.

doom eternal análise crítica review

Já no traje, o jogo se rende a mecânicas de RPG e ao coletar Cristais Sentinela, você podem melhorar a sua saúde, armadura e munição, que são seus atributos básicos físicos. Ao coletar medalhas, o jogo dispõe de uma roda dividida por melhorias de granada, granada de gelo, exploração e etc que aplicam efeitos diversos.

doom eternal análise crítica review

E as runas são habilidades equipadas que facilitam a sua vida como atirar em câmera lenta no ar, aplicar execuções gloriosas mais longe dos inimigos, puxar saúde e armadura mais de longe, próximo da morte o jogo usar o efeito de slow down para que você consiga reagir mais rápido antes de morrer.

Mapa e Exploração

O jogo possui mapas ainda maiores que o seu antecessor. Os mapas agora sendo mais verticais, se dividem em áreas de campo de batalha, áreas de transição e áreas de plataforma.

doom eternal análise crítica review

As áreas de plataforma geralmente são áreas onde você terá que se pendurar ou saltar em objetos flutuantes para chegar em outras plataformas. O jogo nessa área dispõe de itens espalhados pelo mapa que tratam tanto de melhorias de armas, status e habilidades quanto colecionáveis como bonequinhos, discos de vinil que ficam dispostos na sua Fortaleza da Destruição posteriormente. Em cada fase há sempre um puzzle simples de travessia, que geralmente não chegam a serem difíceis, mas parecem esparsos e sem razão dentro de uma proposta de gameplay que se baseia puramente em ação e tiroteio.

As áreas de transição são corredores e salas contendo uma quantidade pequena de inimigos e itens como munição, armadura e vida que servem de preparo para as áreas de campo de batalha.

Os campos de batalha são áreas de mapa abertos onde a ação realmente acontece, contendo muitas plataformas, escadas, barras para se pendurar, propulsores no chão e portais que te levam a outras áreas, geralmente elas estão repletas de inimigos e cumprem muito bem a tarefa de aplicar diversão e desafio em dose certa. Seja no uso passagens de escape, chão que pega fogo e até lavas vulcânicas que podem aplicar dano e te atrapalhar no meio de uma batalha.

Inimigos

Apenas para reforçar, em campos de batalha vários inimigos serão jogados contra você ao mesmo tempo, você terá que lidar com todos de diversas formas, obrigando que o jogador tenha as habilidades de raciocínio rápido e perícia em dia.

Com inimigos ágeis que jogam projeteis em você, voadores, que se teletransportam, inimigos com couraças e atacam atropelando, inimigos com espadas, com canhões em duas mãos, aranhas lançadoras de mísseis, inimigos gigantescos com canhões, demônios lutadores, voadores, com escudos ou demônios zumbis que servem apenas como fontes de saúde, o jogo ao contrário da sua versão de 2016, irá te forçar a aplicar estratégias de batalha para cada um usando as mais variadas armas.

doom eternal análise crítica review

Alguns inimigos você precisa acertar os canhões para inutilizá-los, disparos certeiros na cabeça, com pontos fracos nas costas, atirar bombas quando a boca estiver aberta, acertar quando emitem sinal verde, escudos que explodem no uso de armas laser, atirar com metralhadoras para desarmar escudos e muitas outras estratégias. O jogo vai te forçar a sempre estar ligado trocando de armas a todo momento.

O jogo contêm algumas batalhas menos frenéticas e elas geralmente são contra chefes. Essas batalhas geralmente são mais ritmadas onde você precisa usar algumas armas para contra atacar ataques destes demônios. Geralmente são mais fáceis que as hordas intermináveis que você enfrenta durante o jogo.

doom eternal análise crítica review

Alguns dos inimigos comuns podem parecer sem propósito e mais te irritar do que te desafiar, que é o caso do Marauder, um demônio que usa um escudo e invoca uma pantera para ir atrás de você. Geralmente eles surgem no meio de hordas de demônios e para lutar contra ele você precisa sempre estar atento e atacar no momento certo, quebrando o ritmo de batalha e fazendo você ficar indeciso entre lutar contra os outros demônios ou estabelecer um duelo ritmado contra o Marauder que exige atenção e momentos certos de disparo.

Gráficos

doom eternal análise crítica review

DOOM Eternal é muito bonito. Com ambientes gigantescos e uma direção artística invejável, o jogo abraça cenários de uma distopia infernal altamente tecnológica.

Com ambientes que simulam órgãos de demônios, paredes pútridas, prédios tecnológicos, cenários alienígenas, demônios transitando no background gigantescos, robôs gigantes quebrados em cenários que simulam que uma batalha pela humanidade ocorreu ali, DOOM Eternal é um jogo visceral também no seu visual.

Com partículas de luzes e explosões bem distribuídas, objetos bem polidos, demônios bem animados e expressões faciais invejáveis, o jogo sem dúvida é um dos melhores nesse quesito na sua geração, tanto como tecnicamente quanto como artisticamente.

Trilha Sonora e Som

A ótima trilha sonora foi composta novamente por Mick Gordon, um veterano compositor de jogos de tiro como Wolfenstein e LawBreakers além de jogos de luta como Killer Instinct. Com uma trilha sonora inteiramente baseada no gênero heavy metal, DOOM Eternal é frenético em todos os seus detalhes. Com músicas excepcionais que tocam a cada encontro com demônios, a trilha sonora cumpre divinamente bem com o seu propósito e contribui com a diversão do ótimo gameplay.

 

Sobre os sons, é possível nos cenários ouvir gemidos e lamentações como você estivesse entrando no inferno, além dos sons guturais macabros que os demônios emitem, o jogo é inteiramente legendado e dublado em português do Brasil, com boa qualidade não passando para uma ótima interpretação muito por culpa de um roteiro que exige pouco dos dubladores.

Vale a Pena?

doom eternal análise crítica review

Sim, muito. DOOM Eternal é um dos se não o melhor jogo de FPS lançado até hoje. Com uma proposta mais dinâmica, raiz, visceral e multifacetada, diferente do seu antecessor, ele demanda mais estratégia, raciocínio e maior uso do seu arsenal de armas. Não é um jogo para qualquer um que queira um jogo mais relaxado, fácil e ritmado, é feito para fãs da franquia e para aqueles que desejam uma boa dose de desafio para o gênero.

Se você procura um jogo com grandes histórias, personagens, diálogos, cenas e vilões, esse definitivamente não é um jogo para você. Agora se você quer extravasar e descarregar toda a tensão e raiva em cima de demônios se sentindo um soldado imbatível, é o jogo mais recomendado para você. Só não deixe a sua vó ou sua mãe ver, elas podem achar que você virou um satanista.

Notas do Jogo
doom eternal análise crítica review

Título: DOOM Eternal

Descrição do jogo:

Os exércitos do Inferno invadiram a Terra. Torne-se o Slayer em uma campanha épica para um jogador e derrote demônios entre dimensões para impedir a derradeira destruição da humanidade. A única coisa que eles temem... é você.

Viva a combinação suprema de velocidade e poder em DOOM Eternal - o próximo avanço de combate acelerado de primeira pessoa.

SLAYER, A MAIOR DAS AMEAÇAS - Armado com um canhão de ombro com lança-chamas, uma lâmina de pulso retrátil, armas e modificações melhoradas e habilidades, você está mais rápido, forte e versátil do que nunca.

Gênero: Tiro, Ação

Lançamento: 20 de Março de 2020

Produtora: Bethesda Softworks

Distribuidora: Bethesda Softworks

COMPRAR

Nota
9/10
9/10
  • História - 7/10
    7/10
  • Jogabilidade - 10/10
    10/10
  • Gráficos - 9/10
    9/10
  • Trilha Sonora e Som - 10/10
    10/10

Veredito

Sim, muito. DOOM Eternal é um dos se não o melhor jogo de FPS lançado até hoje. Com uma proposta mais dinâmica, raiz, visceral e multifacetada, diferente do seu antecessor, ele demanda mais estratégia, raciocínio e maior uso do seu arsenal de armas. Não é um jogo para qualquer um que queira um jogo mais relaxado, fácil e ritmado, é feito para fãs da franquia e para aqueles que desejam uma boa dose de desafio para o gênero.

Se você procura um jogo com grandes histórias, personagens, diálogos, cenas e vilões, esse definitivamente não é um jogo para você. Agora se você quer extravasar e descarregar toda a tensão e raiva em cima de demônios se sentindo um soldado imbatível, é o jogo mais recomendado para você. Só não deixe a sua vó ou sua mãe ver, elas podem achar que você virou um satanista.

Vantagens

  • Gameplay muito divertido
  • Movimentação ágil e fluída
  • Alta variedade de armas
  • Shooter estratégico
  • Diversidade de inimigos
  • Belos mapas e cenários
  • Ótima direção artística
  • Trilha sonora venerável

Desvantagens

  • Narrativa básica e rasa
  • Dificuldade pode afastar novatos
  • Puzzles fogem da proposta do jogo
  • Alguns inimigos podem quebrar o ritmo da batalha