Game Informer sugere que a Respawn deveria fazer um novo Medal of Honor


Game Informer sugere que a Respawn deveria fazer um novo Medal Of Honor

Medal of Honor foi uma das primeiras séries de FPS, mas não conseguiu sobreviver ao lado de Call of Duty e Battlefield. Ao longo dos anos, a desenvolvedora do jogo, Electronic Arts, se esforçou na tentativa de reviver a série. Tentou mudar os temas e a fórmula do jogo, mas falhou após um reboot promissor e uma sequência sem brilho.

De acordo com um artigo da Game Informer, está na hora de construir um novo jogo na franquia. A EA vai permitir que a Respawn Entertainment, o estúdio por trás do Apex Legends, Titanfall, e o próximo Star Wars Jedi: Fallen Order, lidem com o desenvolvimento.

“Depois de deixar 2015 para formar a Infinity Ward e desenvolver o Call of Duty, West e Zampella acabaram se desentendendo com a Activision”, lembra o artigo. Ele sugere que a Respawn seja o ajuste perfeito para a série ser revivida novamente.

A dupla saiu e fundou a Respawn Entertainment, o estúdio por trás da série Titanfall e Apex Legends, ambos publicados pela EA. Enquanto West não está mais com a Respawn, vários ex-desenvolvedores de Medal of Honor ainda estão no estúdio. Steve Fukuda, por exemplo, foi de um assistente da Medal of Honor para o designer principal da série Titanfall. Com o espírito de Medal of Honor vivendo na Respawn, ela está perfeitamente posicionada para ressuscitar a franquia.

A série Titanfall serve bem como um indicador da capacidade da Respawn de desenvolver campanhas de tiro em primeira pessoa. O level design em Titanfall 2 e as ideias desenvolvidas em cada missão individual são perfeitas para os várias cenas de guerra que um novo Medal of Honor poderia apresentar. O Apex Legends também é uma prova de que a Respawn pode lidar com tendências multiplayer modernas com graça e facilidade, completando seu currículo.

Quanto às razões para o fracasso do reboot anterior, o artigo detalha que a franquia fez o salto para a era moderna um pouco tarde. Isso é comparado a concorrentes como Call of Duty (2007) e Battlefield (2005), surgindo com a guerra no Afeganistão apenas em 2010. Isso custou o fechamento da Danger Close Games, o estúdio que trabalhou na campanha single player.