Devs de Life is Strange “não conseguem imaginar” voltando a um modelo de lançamento episódico


life is strange true colors review

Life is Strange: True Colors foi o primeiro jogo da série a ser lançado como um pacote completo – evitando o lançamento episódico em que a franquia foi construída. Agora, os desenvolvedores não podem imaginar voltar.

Durante uma entrevista com Rock Paper Shotgun, o designer de narrativa sênior Philip Lawrence explicou por que a equipe queria tentar algo novo com a sequência de Life is Strange, que ainda estava separada em capítulos distintos, mas lançada como um único pacote.

“Não consigo imaginar que voltaríamos ao modelo episódico”, disse Lawrence. “A reação tem sido muito positiva. Acho que tivemos o cuidado de manter essa estrutura episódica, porque isso parece atrair os jogadores. Isso tudo faz parte do DNA de Life is Strange. Como você pode imaginar, foi uma decisão sobre a qual se falou e agonizou bastante, mas acho que, refletindo, foi a decisão certa.”

Life is Strange: True Colors foi lançado em 2021, contando a história de Alex Chen – uma garota que desenvolve uma habilidade sobrenatural de empatia. Foi o primeiro jogo completo de Life Is Strange do desenvolvedor Deck Nine, que assumiu as funções de desenvolvimento do criador da série Dontnod (depois de criar o spin-off Life Is Strange: Before the Storm).

Embora o jogo tenha se afastado dos lançamentos episódicos, ele mantém a natureza da narrativa da TV, revelando o enredo de maneira estruturada:

“É em parte sobre a escolha do jogador”, disse Lawrence. “Tivemos o cuidado de estruturar uma história em torno dos cinco capítulos, para que estruturalmente pareça muito alinhado com os títulos anteriores de Life is Strange.”

Estruturado mais como uma série limitada do que como um videogame, Life is Strange: True Colors oferece aos jogadores a oportunidade de assistir ao jogo inteiro ou levá-lo ao seu próprio ritmo. 

“Então, se os jogadores quiserem dar um passo atrás, refletir e ter esses momentos mais legais com a comunidade, eles podem”, acrescentou Lawrence. “Mas para aqueles que ficariam frustrados com o padrão de lançamento episódico, nós os salvamos dessas frustrações.”

Pense desta forma – Life is Strange: True Colors é mais como um box set do que um episódio semanal. Fazer dessa forma foi aparentemente uma experiência libertadora, com a estrutura da história se tornando secundária em relação à própria história. E isso significava que os desenvolvedores do Deck Nine poderiam se concentrar em acertar o enredo.

“Acho que, do ponto de vista criativo, isso nos permitiu nos concentrar no desenvolvimento da história, colocar os roteiros em uma ótima posição e depois produzir um jogo”, explicou ele. “Então, não tivemos aquela estranheza do modelo episódico em que você está correndo para a produção do conteúdo do roteiro para o primeiro episódio e depois passa para o próximo. Abordar dessa maneira é muito mais coerente e orgânico, eu acho.”

Se encontraremos ou não outro jogo Life is Strange a caminho, ainda não se sabe. Mas mesmo que haja, parece que é improvável que retorne ao antigo formato episódico.