EA defende que Loot Boxes são “éticas e divertidas”


EA defende que Loot Boxes são éticas e divertidas

Executivos de videogames foram interrogados por membros do parlamento do Reino Unido (MPs) sobre preocupações de que mecanismos de videogames como loot boxes possam ser prejudiciais. Representantes de empresas como o da EA e Epic Games fizeram o melhor que puderam para minimizar as preocupações, chegando mesmo a chamar as loot boxes de “mecânicas surpresa”.

Quando perguntado pelos deputados sobre os loots, o vice-presidente de assuntos legais e governamentais da EA, Kerry Hopkins, referiu-se a eles como “mecânicas surpresa” e os comparou a “Kinder Ovos, Hatchimals ou LOL Surprise”.

Quando pressionado sobre a questão pelo MP do Partido Nacional Escocês, Brendan O’Hara, Hopkins disse que os mecanismos de loot em jogos como FIFA Ultimate Team são “realmente éticos e divertidos, muito agradáveis ​​para as pessoas”.

Representantes da Epic Games também estiveram presentes, mas não se mostraram tão bem quanto às perguntas dos parlamentares. Quando perguntado se a Epic Games acreditava que seus jogos eram viciantes, o diretor de marketing da Epic, Matt Weissinger, disse que a empresa não o fez para ser viciante.

O questionamento dos parlamentares do Reino Unido vem logo após a investigação mais profunda da E.U. sobre as propriedades de dependência das loot boxes, bem como a recente decisão da Organização Mundial da Saúde de classificar o Transtorno de Jogos como uma doença.

Países como a Bélgica e a Holanda já proibiram as lojas de loot games, e empresas como EA e Epic foram forçadas a derrubar a mecânica em certas regiões da Europa. A ESA também foi veemente contra a decisão da OMS de classificar o vício em jogos.

Atualmente, existe uma legislação no Congresso dos Estados Unidos para tomar medidas maiores contra as loot boxes, potencialmente até proibindo o mecanismo para os jogadores menores de idade. Questões para os líderes do setor de jogos em relação às loot boxes provavelmente continuarão à medida que mais leis saiam de várias legislaturas.